RIO2016 – JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS. RELEMBRANDO UMA EXPERIÊNCIA INESQUECÍVEL!

  

ASSISTINDO O AUSTRALIAN OPEN BATERAM UMAS “SAUDADES GOSTOSAS” DO RIO2016

Agora que estamos na semana definitiva do Australian Open 2017, com Federer e Nadal de volta ao topo do nível competitivo, é muito bom ver a cada dia deste Grand Slam a esses famosos atletas da elite mundial, tanto no feminino quanto no masculino, e saber que já conheço pessoalmente e já vi jogar ao vivo à maior parte deles. SIMPLESMENTE INCRÍVEL!!! Deu vontade de rever as fotos e aproveitei para postar algumas delas, pois na correria do final do ano passado não tive tempo de fazer isso. Bora lembrar um pouco do sensacional evento de tênis na Cidade Maravilhosa (agosto/2016), as primeiras olimpíadas da América do Sul…

 

Serena Williams em ação na quadra central

Serena Williams em ação na quadra central

Djokovic e Del Potro na quadra central. Jogão em que o argentino eliminou ao sérbio (o Djoko saiu da quadra chorando).

Djokovic e Del Potro na quadra central. Jogão em que o argentino eliminou ao sérbio (o Djoko -pequenininho de azul aí no meu ombro- saiu da quadra chorando. Ninguém acreditava… mais da metade do estádio torcendo contra o grandão kkk, mas Delpo tava jogando demais, fazer o que!).

Rafael Nadal e Thomas Bellucci na quadra central

Rafael Nadal e Thomaz Bellucci na quadra central (apesar da super torcida, essa foi a despedida para o Bellucci. Estadio lotado.)

Os jogos Olímpicos e Paralímpicos de RIO2016, nos quais tive a sorte de participar como voluntário (em ambas ocasiões no evento de tênis) foram uma experiência única na minha vida. Para qualquer pessoa, viver e sentir na pele, ao vivo, as inúmeras emoções que a maior competição esportiva do planeta tem para oferecer já é algo empolgante e memorável. Agora imagine o que é para um atleta como eu, que treina e compete em nível internacional por já quase 15 anos (tentando melhorar a cada dia), ter a oportunidade de ver de perto a todas as estrelas do tênis mundial, aí… na primeira fileira ou mesmo desde dentro da quadra. NÃO HÁ PALAVRAS PARA DESCREVER A EMOÇÃO!… o coração de tenista late forte demais! ainda mais quando Ana Ivanovic, Eugenie Bouchard ou a Muguruza estavam na minha frente. Lindas e super jogadoras todas! (a Serena William não é tão bonita assim, mas igual me deixava com a boca aberta com essa imponência que tem em quadra).

Para ter uma boa ideia do clima de festa esportiva multicultural basta esse vídeo que meu filho Samuel fez para o seu canal do YouTube, o LLWR (Live a Life you Will Remember). Ficou show de bola e capta perfeitamente o que sentíamos todos os dias!

 

IMG_20160812_173548215_HDR

Samuca e seu canal LLWR fazendo amigos do mundo todo (Aperte Ctrl e clique na foto para assistir o vídeo; RIO 2016 – TRIBUTO À MULTICULTURALIDADE).

Todos os que amamos o tênis sentimos muito a falta da Sharapova e do Federer no Rio, felizmente da minha parte já tinha visto a loirinha dos gritos agudos ganhando o título de Roland Garros em 2014 na Philippe Chatrier em Paris.  Um dos momentos mais “chique” da minha vida sem dúvida”… rsrs! (Bonjour monsieur, bienvenue à Roland Garros!)

 

Roland Garros 2014 - Maria Sharapova na Philippe Chatrier

Roland Garros 2014 – Maria Sharapova na Philippe Chatrier

Agora só me falta ver ao melhor de todos os tempos, o Roger Federer, em algum torneio antes que ele se retire. Aonde será que eu vou encontrá-lo?…

Para fazer ainda mais impactantes as emoções de cada dia, a sala de boleiros ficava bem ao lado da academia que os jogadores utilizavam para o aquecimento na quadra Principal – o estádio de tênis do Parque Olímpico da Barra, e com pouco espaço durante a primeira semana do torneio olímpico, era bem comum encontrar ao Murray fazendo flexões no corredor; a Serena Williams aquecendo com alguém; ao Gael Monfils e o Tsonga indo par alguma quadra… enfim!… todos os caras que até então só veia na TV nos grandes torneios. Os voluntários estávamos proibidos de incomodar aos atletas ou pedir fotos, mas… quem é que resiste a tentação?… kkk (Vale dizer que, atendendo essa regra, em muitos dos casos me limitei a cumprimentar e parabenizar quando veia claramente que não estava sendo inoportuno.

Equipe de voluntários fazendo de tudo para que o show esportivo não parasse

Equipe de voluntários fazendo de tudo para que o show esportivo não parasse, mesmo com chuva.

Muito treinamento e vontade de ajudar

Muito treinamento e vontade de ajudar. Todos de parabéns pelo esforço. Obrigado!!! a peça chave para que os olímpicos funcionem como deve ser.

Alguma vez viram gente tão feliz na hora de ter que trabalhar?... só nos jogos! rsrs

Alguma vez viram gente tão feliz na hora de ter que trabalhar?… só nos jogos! rsrs. 

Mesmo sem foto, sem publicar nada no Facebook… (a que hora? meu Deus! Kkk) para mim foram momentos memoráveis com meus ídolos esportivos. Desde quando me inscrevi no site dos Jogos Olímpicos e comecei toda a etapa de cursos, entrevistas, preparação, planejamento da viagem… etc. imaginava que veria a alguns deles(as), nunca pensei que teria a chance de vê-los(as) a “todos(as)”. Tão real… tão perto que não conseguia acreditar que estava aí!

A linda canadense Eugenie Bouchard jogando duplas. Ao fondo a quadra principal

A linda canadense Eugenie Bouchard jogando duplas. No fundo a quadra principal.

 

O David Ferrer e toda sua potência de guerreiro.

O David Ferrer e toda sua potência de guerreiro.

 

O Gael Monfils da França, sempre engraçado e descontraido

O Gaël Monfils da França, sempre engraçado e descontraido.

As irmãs Venus e Serena Williams arrasando nas duplas.

As irmãs Venus e Serena Williams arrasando nas duplas – Quadra 2.

Meu trabalho voluntário foi como líder de quadra, ajudando e coordenando a algum dos vários times de boleiros destinados a cada quadra em determinados intervalos de tempo, eles precisavam correr e se manter bem organizados o tempo todo, cumprindo seu papel durante o jogo, apoiando aos atletas e aguentando as altas temperaturas que tivemos durante vários dias. Com cuidados extra na apresentação, na organização e um timing super estrito, especialmente nas quadras com transmissão para a TV. Os boleiros (ballboys) são pessoas de todas partes do mundo cheios de boa energia, de vontade de ajudar e, claro, do espirito olímpico que se impregna em todos e que nos fazia um time verde-amarelo e multicolor ao mesmo tempo, com todas as bandeiras, raças e cores compartilhando a mesma alegria do esporte e a união dos povos. Bacana demais!

Esse é o “ar” de Grand Slam na sua máxima expressão: O AMBIENTE OLÍMPICO! Único e incomparável. Meu irmão Nelson Freddy, do jornal EL ESPECTADOR da Colômbia, que veio para compartilhar essa aventura junto comigo e meu filho e que, de alguma forma que não entendo, conseguiu estar na correria e ainda trabalhar publicando alguma história todos os dias dos jogos, fez uma matéria especial sobre nós: os voluntários (clique na imagem para ler a matéria – em espanhol).

RIO 2016 - os irmãos Murray com o Super time de voluntários multicolor

Os irmãos Murray e nosso super time multicolor de voluntários: Hong Kong, Bolivia, Mexico, Russia and Brazil-Colombia.

Foi um verdadeiro desafio achar um lugar acessível para cadeirante no Rio de Janeiro durante a época dos jogos. Quase… quase desisti depois de pesquisar horas e horas em vários sites e contatar a muitos anfitriões. Tudo cheio, e tudo caro, além de não acessível. No final das contas tivemos que ficar em uma espécie de cozinha industrial transformada em quarto de hostal e bastante longe, em um bairro chamado Vargem Grande, mas valeu a pena o esforço. O fato de não achar quarto perto do parque olímpico fazia com que, mesmo depois de cumprir meu horário, ficasse até tarde curtindo todas as atividades previstas e imprevistas para o evento olímpico. Sempre tinha algo a fazer, brincadeiras e outras opções de esporte não faltavam… e, claro, orientações para dar aos turistas/visitantes, pois estava sempre com o uniforme né… então o trabalho não acabava nunca!

Sam e eu no Olympic Channel

Com Sam no Olympic Channel

Com meu irmão Freddy, numa pausa no parque olímpico ao fim da tarde

Com meu irmão Freddy, numa pausa no parque olímpico ao fim da tarde

Super foto com o logo olímpico (a ideia veio assim, do nada... e ficou legal né?)

Super foto com o logo olímpico (a ideia veio assim, do nada… e ficou legal né?) no Boulevard Olímpico, o maior “live site” na história dos jogos olímpicos – Porto Maravilha.  

Falando nisso… vale a pena dar uma olhada no site http://www.boulevard-olimpico.com/ para ter uma ideia do tamanho dessa festa unica.

Nesse ritmo, semanas e meses se passam muito rápido. Nos primeiros dias eu ainda achava que teria tempo de postar mais coisas rs!. No final decidi vivenciar e sentir ao invés de me preocupar com publicar; a bateria do meu celular também não ajudou… demasiadas imagens para registrar a cada dia. Só agora, com o upgrade do meu site (obrigado pelo excelente trabalho Ally e Eressea Solutions) e assistindo o Australian Open, animei publicar parte do que tinha guardado. Lembranças que, para mim, valem ouro olímpico!… e paralímpico!!! (mas esse será outro post).

Salto com Vara (cadeirante querendo seguir os passos do Thiago Braz kkk)

Salto com Vara (cadeirante querendo seguir os passos do Thiago Braz kkk, mesmo sem sair do chão.)

Curtindo e ajudando a promover o tênis ao mesmo tempo.

Curtindo e ajudando à ITF e à CBT a promover o tênis. Alguém aí que ainda não joga?… bora bater uma bolinha!

MEUS PARABÉNS AO BRASIL, AO RIO, A TODA A FAMÍLIA OLÍMPICA E PARALÍMPICA E EM ESPECIAL A ESSA GALERA FANTÁSTICA DE VOLUNTÁRIOS E COORDENADORES DOS EVENTOS DE TÊNIS.  MUITO, MUITO OBRIGADO POR ESSA EXPERIÊNCIA INESQUECÍVEL!!!… esse é o tipo de “conexão” que une a gente para sempre.  Abraços a todos e até a próxima!