Seguranca do Trabalho e Sustentabilidade

Equipes Proativas, Inovação e Visão de Futuro

  • Segurança do Trabalho: Acidentes e outras historias. ¡O primeiro passo para tornar-se “invencível” é deixar de achar que você é!

Juntando as experiências como universitário empreendedor do ramo de esportes radicais, que provou desde pára-quedismo até escalada em rocha, e depois como engenheiro que sofre um acidente simples e ilógico em uma segunda-feira de trabalho comum, Fabio leva aos participantes desta palestra a se conscientizar de que os acidentes podem ocorrer a qualquer um (inclusive a você!), em qualquer momento. Por mais novo, ágil, experiente e/ou preparado que seja, faltam apenas uns poucos segundos e alguns fatores de “má sorte” se juntarem para que tudo saia muito mal. O fato de que não seja a nossa culpa não fará com que o problema seja menor.

A realidade é que quase todos acreditamos ser imunes (invencíveis) a este tipo de eventualidades e é comum para muitos subestimar a necessidade de normas de segurança. Tanto a preparação em segurança laboral e a avaliação de riscos no local de trabalho, quanto em nosso plano de vida em caso de que, infelizmente, “as coisas saiam mal”, esta palestra é um convite para a prevenção, para avaliar de forma proativa o nosso entorno e atuar na detecção de riscos e na prevenção de acidentes. Ainda que minha vida vai “sobre rodas”, melhor os animo a que a sua continue marchando “sobre pernas” e sem dificuldades. LIDERANÇA EM PROL DA SEGURANÇA DO TRABALHO… MAIS UM PASSO NO CAMINHO DA SUSTENTABILIDADE.

  • Sustentabilidade e Responsabilidade Social (RSE). A melhor forma de construir Imagem enquanto se constrói Futuro

Os tempos em que fazer alguma doação para uma causa nobre, oferecer um patrocínio a alguma organização ou planejar um evento para os funcionários da companhia parecia ser suficiente para mostrar a retribuição de uma empresa à sociedade na que se desenvolve, já passaram a um novo patamar: o da RSE ou Responsabilidade Social Empresarial, inclusive com padrões que já se espalharam pelo mundo todo. Agora, a questão é de um planejamento estratégico e coordenado da empresa que garanta que o dinheiro investido em Sustentabilidade e RSE vai ser eficazmente usado e alinhado com os valores corporativos e da sociedade. Deve ser planejado no longo prazo e a tendência é que a partir do seu sucesso, as empresas sejam medidas pelos consumidores que começarão a dar, ou não, os seus votos de confiança na hora da compra, animados pelo que vem da empresa na sua área de Responsabilidade Social e na implementação efetiva da sua visão de Sustentabilidade. Será e de fato já é um fator a mais para atrair talento humano a uma organização, além de servir como indicador para medir o quão bem sucedida é a gestão empresarial dos gerentes e diretores. Esta palestra trata das normas e padrões internacionais que estão sendo promovidos e exigidos cada vez mais (Normas ISO, AA1000, Global Reporting Initiative – GRI, Normas para emissões de Carbono, Padrões britânicos, australianos… para Compras Sustentáveis, etc.), e das empresas e organizações-modelo que têm implementado algumas destas normas, junto com as recomendações para as que estão começando a executar projetos neste sentido.

  • Enxames e Biomimetismo (Biomimicry), Aprendendo da natureza para gerar impactos de design e inovação.

Os chamados animais sociais como as abelhas, formigas ou cupins, têm desenvolvido ao longo de milhares de anos de evolução, uma série de sinais e métodos de comunicação e de funcionamento como enxames, que os convertem em mais um ser vivo, quase independente dos indivíduos que o compõem, mas ao mesmo tempo, suportado por eles. Uma série de descobrimentos nesta área, combinados com novas ferramentas de software e de telecomunicações, são a prova de que há novos caminhos a percorrer na área organizacional e na gestão de pessoas, e que nos podemos, como humanos, aprender destes seres que têm comprovado sucesso na natureza, baseados em comportamentos e regras que são efetivas. O que podemos aplicar deste conhecimento?… Quais são as barreiras e os problemas típicos e quais as recomendações para implementar este tipo de métodos na coordenação das nossas equipes de trabalho?… Estas serão algumas das perguntas que responderemos ao longo desta apresentação.

O Biomimicry ou Biomimetismo nos lembra que: “a natureza com 3,8 bilhões de anos de evolução, é adaptável e criativa por necessidade, por isso não devemos esquecer que a maioria dos problemas humanos: transporte, controle do clima, alimentação, moradía, organização social, etc. já tem sido resolvidos desde há muito tempo pela natureza e sem gerar efeitos nocivos para ela mesma” (Janine Benyus). Por isto, se diz que no futuro os projetos provavelmente terão lideres biomimetistas e não engenheiros, ou pelo menos que terá que existir uma simbiose mais estratégica entre engenharia, design, biologia e negócios. Há séculos, a observação atenta da natureza tem sido fonte de inspiração para inventores e filósofos, mas agora que estamos rodeados de conhecimento e informações, imensas possibilidades se abrem para estudar e aplicar tudo o que a natureza tem-nos ensinado e o muito que ainda temos por descobrir. Uma serie de inventos e novas tecnologias serão apresentadas junto com o modelo natural que os originou. São idéias simples e revolucionarias!

Em uma sociedade que reclama por volver-se mais responsável ambientalmente e num planeta com problemas climáticos, excesso de consumo e lixo não biodegradável, adotar novos enfoques, mais inteligentes e mais amigáveis com a terra, se faz imperativo. Por isto, o BIOMIMETISMO É A DISCIPLINA PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO INTELIGENTE E VERDADEIRAMENTE SUSTENTÁVEL, UM NOVO CAMINHO PARA AQUELES QUE REALMENTE QUEREM INOVAR E TIRAR IDEIAS DO MAIOR E MAIS PERFEITO DE TODOS OS MESTRES: A NATUREZA.

  • Sustentabilidade: Conceitos errados, tendências globais, perspectiva empresarial e oportunidades em um mundo cada vez mais verde (mas… cuidado com o Green Washed!)

Infelizmente ainda há muita gente que acha que deixando de imprimir algumas folhas ou reciclando vidro e papelão vai salvar o mundo e deter o aquecimento global. A REALIDADE NÃO É BEM ASSIM! E PARA ENTENDÊ-LA PRECISAMOS VER NÚMEROS, ENTENDER FLUXOS GLOBAIS (tanto climáticos quanto econômicos) E PENSAR DESDE OUTRA PERSPECTIVA QUE NÃO É COMUMENTE DIFUNDIDA. Quanto carbono gerou o café que você tomou hoje pela manhã?…e aquela fruta gostosa -saudável- que comeu no lanche? será que trocar tudo que é feito em papel para o mundo digital “magicamente” vai deter tudo possível mal que a gente faz ao planeta?… você já mediu sua pegada de carbono?… sabe o que isso é e como é calculado? será que todo o que as novas tecnologias apresentam como “avanço” realmente significa progresso para a humanidade?…

O mundo empresarial e a internet estão cheios de supostas provas de preocupação ambiental que devemos aprender a entender para analisar em perspectiva. Sabendo diferenciar os pros e os contras de forma simples e baseada em conceitos fundamentais de sustentabilidade que, lamentavelmente, costumam ser manipulados pelas empresas para promover seus produtos como “ecológicos”, “mais verdes” ou “ecologicamente corretos” quando, na realidade, não são. No mar de informações em que vivemos, esta palestra é um guia essencial -imperdível- para que você saiba diferenciar o que é do que não é; os que realmente são dos que apenas aparentam. O “Green washed” (“esverdeamento”) dos produtos e serviços está por todas partes. Cuidado com isso!
A boa notícia é que nesse monte de desinformação e “truques” de publicidade há uma grande oportunidade de negócios para quem realmente se compromete com o planeta.

  • Sustentabilidade e Compras Sustentáveis: As decisões inteligentes e o planejamento estratégico se encontram no futuro que todos queremos (na perspectiva empresarial ou do governo).

O porcentual das compras públicas no Brasil está entre 15 e 20% do PIB  (Fonte: Instituto Ethos). Isso é muito, muito dinheiro! Você consegue imaginar a grande transformação que este pais teria se essas compras fossem efetivamente priorizadas por critérios de sustentabilidade?… (lembrando que a sustentabilidade têm três pilares fundamentais, inter-relacionados na sua essência, o ambiental (que por vezes parecer ser o único que quase todo mundo prega e promove), o econômico e o social (o mais esquecido dos três). A constituição brasileira destaca claramente a importância de um meio ambiente “ecologicamente equilibrado” e impõe ao governo e à sociedade “o dever de defendê-lo e preservá- lo para as presentes e futuras gerações” (Art. 225 CF/88), temos também bases legais que determinam que o desenvolvimento sustentável deve ser priorizado nas aquisições e contratos públicos (Lei 8.666 de 1993). Assim, resulta evidente que o arcabouço é amplo e temos, entre outras, bastantes leis; decretos; Instruções Normativas; e Agendas (incluída a Agenda 21, da ONU, que vem desde RIO 92 e que iniciou boa parte desse movimento). Esta palestra ajuda a entender as ferramentas e desafios desses instrumentos normativos e os vários entraves que ainda existem no governo e na prática das licitações e pregões para que isso não seja tão simples quanto todos gostaríamos.

Temos duas perspectivas básicas neste contexto: a do governo e a do setor empresarial. Das decisões e do marco legal que conduzem ou atrapalham as ações desses atores vai depender o resultado para você, cidadão que recebe um salário, consome produtos, e paga impostos de muitas formas. O que pode fazer uma pessoa comum para melhorar esse panorama?… como melhorar as ferramentas e o conhecimento que os servidores públicos têm para lidar com esses temas? Da mesma forma que em muitos outros temas no Brasil, há vários aspectos de gestão e planejamento que merecem ser analisados e que podem ser melhorados sem ter que investir grandes recursos. Todos os participantes desta palestra irão aprender o que podem fazer desde sua perspectiva e levarão consigo várias ideias para propor/implementar nas suas organizações. A primeira decisão inteligente que você deve tomar em relação com a Sustentabilidade e as Compras Sustentáveis é aprender mais sobre elas.